Pular para o conteúdo principal

É possível aperfeiçoar as habilidades em redação científica?

Pedro Reiz
5/8/2014, às 19h59
      
        No Brasil, conforme dados divulgados pelo Inep em 2012, há mais ou menos 7 milhões de estudantes de graduação. Aproximadamente ¼ desses estudantes frequentam as áreas de saúde, biológicas, engenharias e agrárias. Desses, um em cada três terá noções de entendimento e produção de texto (http://www.ipm.org.br e http://www.acaoeducativa.org), e um em cada doze frequentará um curso de mestrado ou doutorado, apesar de apenas ¼ concluí-lo.
          Dos graduados, alguns talvez utilizem o conhecimento aprendido na graduação nos três primeiros anos, alguns aplicarão em parte e outros podem nunca empregá-los. Para os estudantes de graduação que utilizarão ou que pretendem usá-lo, o desenvolvimento das habilidades de consumo e de produção de texto científico é necessário, a fim de estimular e potencializar os benefícios positivos desses recursos e técnicas para as demais fases da vida profissional e acadêmica (mestrado e doutorado), etapas naturais em virtude da importância de continuar a aprender e se atualizar.
         Estudantes, profissionais e pesquisadores sobreviventes de formações defeituosas muitas vezes são tratados como se tivessem bloqueios, tristeza, pânico, confusão, fobias, crenças limitadoras e perturbações por várias modalidades de profissionais na esperança de aliviar ansiedade, solidão, apego, estresse, hiperatividade, TDAH, dificuldade de trabalhar em equipe, déficit de atenção, sensação de não presença, insegurança, entre outros.
         Com isso não se quer negar a existência de transtornos e traumas, pois é óbvio que muitos deles precisam de atenção especializada. Todavia, uma alternativa pouco conhecida é o coaching em redação científica, uma vez que muitos dos problemas relatados podem decorrer de frustrações pelo cumprimento irregular de disciplinas, complicações nos relacionamentos interpessoais, abandono de mestrado ou doutorado, desempenho abaixo do esperado etc.
         Assim, o coaching em redação científica é um recurso para melhorar habilidades, competências e técnicas, fundamentais tanto para estudantes de graduação e pesquisadores
(de mestrado e doutorado) quanto para profissionais altamente qualificados, porque apenas depois da superação de certos bloqueios é que há melhora na autoestima, autoconfiança e autonomia. O coaching em redação científica é muito eficaz, não somente ajuda na transposição de certos obstáculos na graduação, cursos de especialização, mestrado, doutorado, entre outros, mas auxilia na atualização e aperfeiçoamento de pesquisadores e profissionais com muita experiência prática.